Notícias

4 passos simples para criar um plano de investimento

Investir não é uma tarefa difícil: qualquer pessoa com dinheiro e acesso a um banco ou corretora consegue fazê-lo. A coisa muda de figura quando a ideia é investir com qualidade. Esse é um desafio que apenas quem entende de mercado financeiro consegue assumir. E, na enorme maioria dos casos, esses investidores não ignoram a importância de ter um plano de investimento.

Se você é daqueles que simplesmente abre a tela do seu computador e sai escolhendo ativos financeiros de maneira aleatória, pode estar perdendo dinheiro de bobeira. Vamos, portanto, entender a importância de trabalhar com um plano de investimento.

O que é um plano de investimento?

Um plano de investimento nada mais é do que uma metodologia para planejar o que fazer com o seu capital e, desta forma, realizar os seus investimentos de maneira consciente de acordo com seus próprios objetivos.

Para que você entenda melhor esse processo, vamos esquecer um pouquinho o mercado financeiro e pensar em uma situação do cotidiano. Imagine, por exemplo, que você tenha uma festa de aniversário para ir no próximo final de semana.

Neste caso, é improvável que você deixe para resolver tudo no dia da comemoração. E, se o fizer, provavelmente algo dará errado como atrasar ou mesmo esquecer da data.

O que fazer para evitar erros? Planejar! Você pensa na melhor forma de ir ao local, qual meio de transporte usar, o horário de saída ideal e até qual presente comprar para o aniversariante.

Um plano de investimento é exatamente isso, mas focado no seu capital. Ou seja: pensar em como você quer trabalhar o seu dinheiro e qual a melhor maneira de fazê-lo render.

Qual é a importância de trabalhar com um plano de investimento?

A grande importância de ter um plano de investimento é evitar cometer erros bobos. No mercado financeiro são muitas opções de ativos e, sem saber exatamente como trabalhar o seu capital, a chance de tomar ações erradas aumenta consideravelmente.

Ademais, tudo na vida é mais fácil se há um direcionamento a seguir, inclusive contendo focos e objetivos. Se você pensa no longo prazo, será que realmente faz sentido comprar ações de uma empresa que contém alto risco?

Não se trata de dizer o que é certo ou errado, pois isso é extremamente subjetivo, mas sim de apresentar um direcionamento adequado para o objetivo do investidor. E, claro, evitar tomadas de decisão por impulso ou falta de controle emocional.

Como criar um plano de investimento?

Embora pareça algo muito complexo, criar um plano de investimento não é nenhum bicho de sete cabeças. A seguir, listamos alguns passos simples para você começar a montar o seu e investir com mais foco e segurança.

1. Entenda o seu perfil como investidor

Qual é o seu objetivo com os investimentos? Você aceita bem os riscos? Entender o seu perfil é o primeiro passo para criar um plano de investimentos.

Imagine que você lide muito mal com a perda de dinheiro. Será que faz sentido começar a investir em ações? Como vai lidar com momentos de instabilidade? Entender a si mesmo é fundamental para ganhar dinheiro.

2. Defina um objetivo

Em segundo lugar, é hora de escolher um objetivo a seguir. O que você quer com os seus investimentos? Ganhar dinheiro é uma resposta óbvia, mas para qual propósito? É pensando na aposentadoria? Gosta de testar seus conhecimentos na renda variável?

De acordo com esses objetivos, alguns ativos poderão ser mais ou menos recomendados e, a partir do seu foco, fica mais fácil selecionar aqueles que farão a composição da sua carteira.

3. Escolha os ativos financeiros

Com perfil e objetivo estabelecidos, aí sim é hora de selecionar os ativos que serão utilizados na sua carteira. Nunca se esqueça, no entanto, da função deles dentro do seu plano de investimento.

A ideia é criar uma aposentadoria? Talvez buscar algo mais conservador seja o caminho, como investir no Tesouro Direto ou fundos de renda fixa. Por outro lado, se você é mais agressivo e quer ver o dinheiro render, a Bolsa de Valores pode ser uma boa ideia.

4. Acompanhe o processo e fique de olho em oportunidades

A escolha dos investimentos não termina o seu processo dentro de um plano de investimento. É preciso acompanhá-los a todo o momento. Lembre-se: é o seu dinheiro que está em jogo.

Nesse sentido, o acompanhamento não é apenas para ver resultados, mas entender se eles estão de acordo com os objetivos ou mesmo se as suas metas não mudaram ao longo do caminho.

Por fim, não deixe de acompanhar novas oportunidades. É o caso, por exemplo, de investimentos em startups, algo que vem crescendo no Brasil. Se esse mercado te interessa, dê uma olhada em como pode aproveitar do segmento para fazer o seu capital crescer no site da Linka Invest.

CVM
O investimento em Startup envolve riscos financeiros com a possibilidade de perda total do capital investido. A Linka Invest não garante o retorno do investimento efetuado pelo Investidor. Investimentos em Startup devem compor apenas uma pequena parte de uma carteira diversificada de investimentos. Apenas invista em negócios publicados na plataforma Linka Invest se você possui conhecimento suficiente para entender esses riscos e para tomar suas próprias decisões de investimento. Os investimentos realizados através da plataforma Linka Invest não contam com garantia da própria plataforma, ou de qualquer mecanismo de seguro, ou ainda, do Fundo Garantidor de Crédito – FGC.
As Startups e as ofertas apresentadas nesta plataforma estão automaticamente dispensadas de registro pela Comissão de Valores Mobiliários – CVM.
A CVM não analisa previamente as ofertas.
As ofertas realizadas não implicam por parte da CVM a garantia da veracidade das informações prestadas, de adequação à legislação vigente ou julgamento sobre a qualidade da Startup.
Antes de aceitar uma oferta leia com atenção as informações essenciais da oferta, em especial a seção de alertas sobre riscos.

© Linka Invest - Todos os direitos reservados. Website criado por Agência ILI. v2